jump to navigation

ORÇAMENTO PÚBLICO: MULTIPLICADOR ORÇAMENTÁRIO 25/10/2012

Posted by linomartins in Noticias.
trackback

Uma coluna no blogue europeu “Vox” (Voxeu.org), intitulada “Medindo o Multiplicador, Lições da História“, Eichengreen, professor de Economia e Ciência Política na Universidade da Califórnia em Berkeley, e O´Rourke, professor de História Económica, um irlandês que atualmente leciona no All Souls College da Universidade de Oxford, na Inglaterra,  tratam do cálculo do multiplicador orçamentário. E afirmam que não ficaram “chocados” com a revelação e penitência feita pelo Fundo Monetário Internacional (FMI), através de agora famosa “caixa técnica” (a páginas 41 a 43 do capítulo 1) do ““World Economic Outlook”“, assinada pelo conselheiro económico do Fundo, Olivier Blanchard, e pelo investigador Daniel Leigh. Este último já em julho de 2011 havia chamado a atenção para o efeito negativo das políticas de austeridade no quadro da atual Grande Recessão, e em particular para um choque ainda mais acentuado na economia quando os ajustamentos se baseiam na receita fiscal, sobretudo depois do primeiro ano.

“Os políticos europeus que erraram têm dificuldade em recuar”

Eichengreen e O’Rourke suspeitam que os responsáveis europeus, ainda que “expressando choque e ultraje em relação à descoberta desconfortável feita pelo FMI, estavam também conscientes do que se passava na zona euro, muito antes do Fundo ter trazido o assunto à atenção mundial” e concluem sobre este aspeto político: “A questão agora que foram forçados a enfrentar publicamente o problema, é saber se estão finalmente preparados para traduzir a consciência do assunto em ação”.

Segundo Barry Eichengreen  são quatro pontos básicos do estudo:

1. “O que é importante para o multiplicador é se as taxas de juro estão próximas do nível mais baixo de zero por cento. A última vez que isto aconteceu nos países desenvolvidos foi nos anos 1930”;

2. “Os anos 1930 são o paralelo mais próximo que temos do atual ambiente nos países desenvolvidos em que os bancos centrais não conseguem contrabalançar a política orçamental expansionista (ou contracionista) aumentando (ou baixando) as taxas de juro”;

3.  “Quando os consumidores e os bancos enfrentam constrangimentos de liquidez – quando não conseguem pedir emprestado – a política orçamentária é provavelmente mais eficaz, e o multiplicador será maior. Eis outra razão para esperar um multiplicador mais elevado nos anos 1930 e hoje”;

4.  “Muitos líderes europeus eram inicialmente ignorantes ou estavam em estado de negação sobre o fato de que as suas políticas de austeridade orçamentária mergulhariam as economias europeias em recessão profunda. Eles estão agora associados politicamente a essas políticas, por isso, apesar de conhecerem o erro dos caminhos tomados, têm dificuldade em recuar”.

Para conhecer o estudo acesse o link a seguir:

http://www.voxeu.org/article/gauging-multiplier-lessons-history

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: